;

NOTÍCIAS

Chuva dos primeiros dias de agosto supera média histórica do mês na região de Campinas


O nível de água pluvial registrado nos primeiros nove dias no Sistema Cantareira, que abastece a região de Campinas (SP), chegou a 59,4 milímetros cúbicos, acima da média histórica de 34,5 milímetros para todo o mês de agosto. A chuva, que ocorre dentro do esperado para o inverno, chega para compensar a escassez de precipitações do início do ano, que teve um registro 30% abaixo da média.


De acordo com o especialista em recursos hídricos Antônio Carlos Zuffo, os níveis dos rios que compõem o Sistema, como o Atibaia e o Jaguari, devem voltar a cair nos próximos dias e até o início de outubro, quando as chuvas ‘de verão’ chegam com intensidade. “Não podemos dizer que há crise hídrica. Este é apenas o resultado de um baixo nível de precipitação entre o final de 2017 e o início deste ano.”


Zuffo afirma que a região se encontra na fase final de um período mais extenso de chuvas, que começou a ser registrado em 1976 e segue até o ano atual. “Em duas ou três décadas, vamos ter uma média de 5% a 15% abaixo do registrado atualmente. Com isso, a vazão de água será entre 20% e 30% menor do que o normal”. Agora, segundo ele, as administrações municipais devem se preocupar com o abastecimento. “Algumas cidades têm deficiências hoje neste assunto. Estamos dentro do esperado, então as chuvas só devem voltar com frequência na primavera.”


Rios Atibaia e Jaguari


Na região de Sousas, distrito de Campinas, a vazão do Rio Atibaia atingiu 27,4 m³/s no seu ápice destes últimos dez dias, acima dos 12,3 m³/s registrados no mesmo período do ano passado.


A população local já sentiu a diferença e comemora a tímida, porém significativa melhora no abastecimento. É o caso de Salete de Paula, de 66 anos, que vive na região desde que nasceu. “A água é muito importante, até os patinhos estão felizes”, brinca. “Já cheguei a chorar quando o rio estava baixo e todas as pedras do fundo apareciam para a gente ver.” Aos olhos do morador Márcio Braga, de 45 anos, o Atibaia nunca esteve tão baixo quanto atualmente. “A chuva foi abençoada e ajudou bastante.


Antigamente eu costumava até pescar aqui.”


O Rio Jaguari, que também abastece a região, chegou a 15,8 m³/s nos últimos dez dias, acima dos 6,3 m³/s registrados em 2017. “Agosto é um mês tipicamente seco. O nível dos rios deve abaixar novamente já nos próximos dias”, pontua Zuffo.(fonte site G1 Campinas)



Leia mais: