;

NOTÍCIAS

MP prevê notificar 287 empresas de transporte em SP por prejuízo de R$ 300 milhões com ICMS


O Ministério Público confirmou na tarde desta segunda-feira (3) que 287 empresas de transporte em São Paulo devem ser notificadas por participação em suposto esquema que resultou na perda de R$ 300 milhões ao governo do estado, por meio da sonegação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Oito foram presos durante a 2ª fase da Operação Combustão deflagrada em Campinas (SP), Jaguariúna (SP), Indaiatuba (SP) e Paulínia (SP) nesta manhã.






O órgão e a Secretaria da Fazenda destacam que este valor está dentro do montante estimado em R$ 2,8 bilhões calculado sobre notas fiscais falsas que teriam sido emitidas ao longo de quatro anos.





"[Investigados] Apresentavam notas de montantes muito grandes da aquisição de óleo diesel para poder se creditar de ICMS perante o fisco, mas este comércio não existia", destacou o promotor José Cláudio Tadeu Baglio, do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). Segundo o MP, entre as transportadoras investigadas 87 são de Campinas.





Investigações





As apurações sobre os crimes em postos e empresas incluem 101 municípios paulistas, e foram mobilizados 250 agentes da Fazenda para notificação das empresas desde o período da manhã. Entre os presos estão empresários e advogados, informou o MP, e veículos foram apreendidos.




"As principais lideranças e alguns operadores do esquema foram alvo das prisões, inclusive aqueles que ajudavam a lavar o dinheiro angariado através de criptomoedas, carros de luxo e compras de imóveis", falou o promotor. Doze veículos foram apreendidos durante a operação.





Os trabalhos tiveram como ponto de partida um posto no Centro de Campinas, onde a estrutura é incompatível para receber caminhões. Além disso, embora nenhuma das bombas tivesse diesel, em um ano foram "comercializados" milhões de litros pelo comércio, mas que na verdade eram notas frias. "Cobravam percentual pequeno [...] 1,2%, 1,5% do valor da nota emitida", destacou Baglio.





O MP destacou que o esquema envolve ainda empresas do Rio Grande do Sul, Paraná, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Goiás, e a suspeita é de que cerca de 600 transportadoras estejam envolvidas na sonegação fiscal. Elas serão notificadas para devolver o dinheiro e serão multadas.(fonte site G1 Campinas)






Leia mais: