;

NOTÍCIAS

Presos suspeitos por roubo de 1,5 milhão de litros de combustíveis vão ser ouvidos em Casa Branca


Os oito presos na ‘Operação Entressafra’ deflagrada pela Polícia Civil de Mococa (SP) começarão a ser ouvidos nesta segunda-feira (9) em Casa Branca (SP). Eles são suspeitos de participação em uma quadrilha que teria roubado 1,5 milhão de litros de combustíveis em Mococa, Ibaté e Patrocínio Paulista (SP) em janeiro deste ano.


A operação foi realizada na madrugada de domingo (8) em Cosmópolis e Paulínia e mobilizou 20 equipes da Polícia Civil de Mococa, Casa Branca, São João da Boa Vista, Limeira, Piracicaba, entre outros municípios do interior paulista.


A polícia apreendeu ainda sete caminhões-tanque, uma moto, duas motos aquáticas, e 11 carros, alguns modelos de luxo. Os veículos foram levados para a delegacia de Mococa.







Chefe da quadrilha





Segundo o delegado José Guilherme Torrens de Camargo, o chefe da quadrilha é Anderson Kioshy Satou, de 37 anos. Ele é dono de um posto em Cosmópolis e foi encontrado em casa, onde foram apreendidas duas caminhonetes, joias, celulares e dinheiro.


No estabelecimento, os policiais acharam uma tubulação usada para transferência ilegal de combustível, dinheiro, bombas elétricas e equipamentos para bloqueio de celulares e rastreadores. Dentro de uma das caminhonetes, estava uma touca ninja.


Em uma oficina mecânica, também em Cosmópolis, foram localizados pelos agentes uniformes usados pelos assaltantes em roubos às usinas e um dos caminhões apreendidos. Já no terreno ao lado estavam cinco carretas usadas no transporte das cargas roubadas, destacou a polícia.







Assaltos





A polícia teve acesso a vídeos de câmeras de seguranças de uma das usinas atacadas em janeiro deste ano. Os ladrões chegaram armados durante a madrugada e foram violentos ao render o funcionário.


Uma parte do bando se dividiu para roubar o combustível enquanto outros invadiram o escritório. Em outro vídeo, dá para ver um caminhão-tanque passando em fuga já com o combustível roubado. Foi por das imagens que a polícia começou a desvendar o caso.


"Foi fácil localizar o trânsito deles nas praças de pedágio. Chegando aos caminhões, logo chegamos aos motoristas e aí desbaratou todo o bando criminoso", disse o delegado Torrens.


Segundo o delegado seccional de Casa Branca, Carlos Alberto de Braga Fiuza, a polícia investigará se há relação da quadrilha com outros crimes, incluindo homicídio. Além disso, o objetivo é esclarecer o "caminho" feito pelo combustível desviado e a lavagem de dinheiro pela quadrilha.


EPTV e o G1 não conseguiram contato com a defesa de Satou e dos outros suspeitos presos até esta publicação.(fonte site G1 Campinas)





Leia mais: