;

NOTÍCIAS

Com pai na "bagagem", filhos de Amoroso embarcam para atuar no futebol espanhol


Márcio Amoroso dos Santos rodou o mundo por causa do futebol. Despontou em Campinas, foi artilheiro no Japão, na Itália e na Alemanha, além de atuar no futebol espanhol e também grego. Agora, quase dez anos da aposentadoria oficial, o ex-atacante voltará a viajar por causa do futebol. Mas não dele, e sim dos filhos.


Os herdeiros do craque receberam e aceitaram propostas para atuar na Espanha. Matteo, de 15 anos, assinou contrato para atuar na base do Granada, que já esteve na elite do país e hoje disputa a segunda divisão. Giovanni, o filho mais velho (20 anos), vai integrar o profissional do FC Cubillas, da quarta divisão. Os clubes possuem uma parceria.


A apresentação dos dois está marcada para 5 de agosto, e por isso a família inteira está de mudança. Ao lado da esposa Raquel e da filha Isabela, a mais nova, Amoroso vai se mudar para Granada para acompanhar de perto a carreira dos filhos. Uma retribuição pelo que todos fizeram por ele próprio, quando a carreira profissional estava em andamento.


– Filho é filho. A gente acaba querendo ajudar de todas as maneiras. O futebol europeu é o sonho de qualquer jogador, então é uma oportunidade grande de crescer na carreira, como homem e como jogador – diz Amoroso, que fala com orgulho da trajetória dos meninos.


Giovanni tem mais vivência no mundo do futebol. Aos 20 anos, o meia-atacante já esteve na Itália, quando atuou pela Udinese, defendeu o Ituano também e passou os últimos meses no Boca Ratón, equipe dos Estados Unidos que o pai atuou recentemente. Agora na Espanha, ele pretende somar mais uma experiência no sonho de ter sucesso no futebol.


– Uma nova oportunidade é sempre algo positivo. Espero chegar e pegar confiança. A Espanha tem um futebol mais técnico, então espero que seja uma chance de abrir portas dentro do futebol europeu – afirma o primogênito do craque.


Já Matteo tem origem no futsal, pois defendeu o Pulo do Gato, de Campinas. No futebol de campo, atuou na base do Ituano e agora vive a primeira oportunidade na Europa. Ele não esconde o frio na barriga e, assim como o irmão, valoriza a chance e a presença de Amoroso no projeto de carreira.


– Difícil seguir os passos dele, mas é importante ter meu pai perto da gente nessa realização de um sonho. Meu estilo de jogo é mais de bola no pé, pois não tenho muita velocidade, então espero aprimorar ainda mais o passe na Espanha – explica o garoto de 15 anos, que joga de segundo volante, lateral e meia, sempre pela esquerda.


Giovanni e Matteo carregam o futebol no DNA. Muito antes do pai, o sobrenome fez sucesso nos anos 60. José Amoroso Filho, tio de Amoroso, atuou no Botafogo e no Fluminense, por quem foi duas vezes artilheiro do Campeonato Carioca, em 1964 e 65, com 19 e 10 gols, respectivamente. Cabe aos jovens seguir essa trilha. Chance não vai faltar.(fonte site G1 Campinas)



Leia mais: