;

NOTÍCIAS

Glória Maria diz que usa ervas e ninho de passarinho para envelhecimento

Motivo de curiosidade entre internautas nas redes sociais, Glória Maria explicou na noite deste sábado (24) que usa ervas e toma chá --ou sopa-- de "ninho de passarinho" para retardar o envelhecimento. A jornalista de 67 anos foi questionada sobre o segredo de sua eterna juventude durante participação no "Altas Horas", da TV Globo.

"Aliás, é um mistério que intriga muita gente sobre o segredo de sua eterna [juventude]", elogiou o músico Paulo Ricardo. "Eu como 'ninho de passarinho'", respondeu Glória. "Tem na China, na Tailândia e no Vietnã. Dizem que é por isso que chinês não tem rugas. É um ninhozinho que eles vendem, fazem o chá ou sopa, e tem um sabor gostoso. Eu tomo a vida inteira. É afrodisíaco, que retarda o envelhecimento, não deixa ter ruga e dá energia", completou.

A jornalista disse que também costuma usar ervas que trás de suas viagens, como um método alternativo para não criar rugas nem flacidez. "No dia que abrirem a minha mala, eu acho que vou ser presa, porque é tanta erva, tanta coisa esquisita que eu trago... (risos da plateia) Não, quando eu digo erva é, assim, você vai na China, a medicina é toda [baseada] em plantas. Aí eles dizem que é para não envelhecer e não ter flacidez, e eu acredito", explicou Glória, que virou notícia ao fumar maconha na Jamaica em uma reportagem produzida para o "Globo Repórter", no ano passado.

No programa, Glória comentou ainda sobre as viagens que realizou a dezenas de países, e disse que o Irã foi o único país onde não sentiu a discriminação racial, não foi tratada como "um objeto não identificado".

"Foi o único país no mundo que eu não senti a discriminação racial. Eles vinham falar comigo (...) e ninguém me olhou como um 'objeto não identificado' por eu ser negra'. É um país lindo. Foi uma surpresa atrás da outra", relatou.

Sobre as amizades que faz ao longo de todas as viagens, Glória disse manter contato. "Eu tenho amigos no mundo inteiro, sou muito afetiva, gosto de gente. Então, eu mantenho contatos com as pessoas [como se fosse] um tesouro. É o que eu tenho de mais precioso. "

Leia mais: