Após assassinato de presidente do sindicato, rodoviários paralisam transporte público na região de Campinas

Publicidade

Funcionários de empresas de ônibus paralisaram linhas urbanas e intermunicipais, na manhã desta quinta-feira (27), em cidades da região de Campinas (SP). A manifestação é por conta do assassinato do presidente do Sindicato dos Rodoviários, Nilton Aparecido de Maria, na quarta-feira (26).

Em Campinas, das 200 linhas que circulam na cidade, 110 estão completamente paradas, o que equivale a um impacto de 55% no total da frota. De acordo com a Empresa Municipal de Desenvolvimento da Metrópole (Emdec), 76 mil pessoas foram afetadas durante a manhã.

A autarquia informou que colocou ônibus extras em 35 linhas de cooperativas, que não têm ligação com o sindicato, para tentar resolver o problema. A paralisação provocou um transtorno em toda a região nesta quinta-feira.

O que diz a Emdec?

Em nota, a Emdec informou que lamenta a morte do presidente do sindicato, se solidariza com a família e deseja que as circunstâncias e motivações do crime sejam esclarecidas. No entanto, a autarquia afirmou que tal situação não pode prejudicar a vida dos usuários do transporte coletivo de Campinas.

“A Emdec realiza todos os esforços para que a operação de sistema de transporte seja efetivada e normalizada o mais rápido possível. A Emdec faz gestão junto às empresas e conversa com o Sindicato para que a população que necessita do transporte público não seja prejudicada”, diz o texto.

Em Valinhos, além do transporte intermunicipal, os ônibus urbanos também ficaram paralisados. A rodoviária do município está fechada e nenhum coletivo saiu da garagem. A previsão é que os motoristas saiam para o enterro de Nilton, marcado para a manhã desta quinta. As linhas de Indaiatuba também foram afetadas.

O Grupo Sou, que administra o transporte municipal em Valinhos e Indaiatuba, disse que foi surpreendido com a paralisação, lamenta o ocorrido e busca uma solução “o mais breve possível para não prejudicar ainda mais os clientes”.

A Prefeitura de Paulínia informou que o transporte na cidade também foi afetado, mas não entrou em detalhes.

Morte de presidente

A Polícia Civil colheu quatro depoimentos na quarta-feira para investigar o assassinato de Nilton Aparecido de Maria, de 57 anos. Foram ouvidos familiares da vítima e representantes da entidade que ele presidia.

Segundo a Polícia Civil, imagens enviadas para a investigação permitiram o rastreamento da placa do veículo usado no crime. Nenhum suspeito foi preso até a noite desta quarta. A principal hipótese é de que o sindicalista tenha sido executado.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Campinas e Região foi assassinado com um tiro na nuca, em frente à casa onde morava, no Núcleo Residencial Gênesis, na metrópole.

Nilton Aparecido de Maria saía da residência com a esposa quando ambos foram abordados por um homem que saiu de um carro anunciando um assalto. O presidente do sindicato levaria a mulher para trabalhar.

Familiares relataram que Nilton foi eleito presidente do Sindicato dos Rodoviários de Campinas e Região em agosto de 2021. Desde então, segundo a família, ele recebia ameaças de morte – informação que foi dita também pelo advogado da associação.

Fonte: G1

 


Opnião dos Leitores

Você não está autenticado, clique aqui. para acessar o sistema!.


Notícia FM

Ligou, virou Notícia!

Faixa Atual

Título

Artista

Ligou, virou Notícia!

Precisa de ajuda?