Bolsonaro prevê 11 trocas de ministros que vão disputar eleição: ‘Pacotão’

Publicidade

O presidente Jair Bolsonaro, durante visita a Rondônia nesta quinta-feira (3), disse prever a troca de 11 dos 23 ministros que devem deixar o governo para disputar as eleições em outubro.

“Temos previstos, no momento, 11 ministros que vão disputar eleição. Obviamente que vamos ter ministérios-tampão”, afirmou Bolsonaro.

Segundo ele, a dança das cadeiras será no fim de março. “Dia 31 de março, um grande dia, é um pacotão: 11 saem, 11 entram. Da minha parte, vocês só vão saber via ‘Diário Oficial da União'”, disse.

Questionado se poderia ter algum nome de Rondônia, respondeu: “Eu tenho um profundo apreço pelo [senador Marcos] Rogério. A gente pode conversar, mas nada decidido ainda com ninguém, porque, afinal de contas, para evitar ciumeira”.

Sobre o comentário “Perdemos o Peru”, que fez em junho do ano passado, quando Pedro Castillo liderava a contagem de votos nas eleições, Bolsonaro afirmou que está “tudo superado”.

“O que acontece: nós queremos uma América do Sul livre, liberdade de expressão, liberdade de imprensa para todos aqui. Logicamente que esse encontro aqui tem a ver com isso, nós podemos só ter boa relação se a democracia imperar de fato no seu país. Tudo superado”, disse.

Questionado sobre a suposta pressão da diplomacia americana para que desistisse de uma viagem à Rússia prevista para este mês, em função do aumento de tensões por conta de tropas russas próximas à Ucrânia, Bolsonaro respondeu:

“Brasil é Brasil. Rússia é Rússia. Faço um relacionamento com o mundo todo. Assim como se o Joe Biden me convidar, estarei nos Estados Unidos com o maior prazer”, respondeu.

A pressão americana, reportada pelo jornal “Folha de S.Paulo”, parece ser parte de uma iniciativa global dos Estados Unidos para isolar a Rússia em meio a preocupações com um possível conflito na Ucrânia.

Encontro presidencial

Bolsonaro visitou Rondônia para se reunir com o presidente do Peru, Pedro Castillo, que por volta de 11h20 chegou ao local da reunião, o Palácio Rio Madeira — sede do governo de Rondônia.

Segundo o Ministério das Relações Exteriores, Bolsonaro e Castilho vão tratar sobre comércio e acesso a mercados, integração física, cooperação fronteiriça, cooperação em defesa e segurança, cooperação técnica e humanitária e combate à pandemia de Covid.

Desembarque

Bolsonaro desembarcou por volta de 10h no aeroporto Internacional Governador Jorge Teixeira, em Porto Velho, e cerca de 40 minutos depois se encontrou com apoiadores que estavam na área externa do aeroporto.


Jair Bolsonaro chega a Porto Velho para encontro com presidente Peruano — Foto: Hebert Novaes/CBN Amazônia

Na sequência, Bolsonaro subiu na carroceria de uma caminhonete e seguiu para o gabinete do Palácio Rio Madeira, onde mais tarde vai se reunir com o presidente do Peru.

Vários motociclistas, previamente cadastrados, fizeram uma ‘motociata’ para acompanhar o presidente pelas principais avenidas de Porto Velho.


Bolsonaro sobe em carroceria de caminhonete durante viagem a Rondônia — Foto: Hebert Novaes/CBN Amazônia

Esta é a primeira vez que o palácio do governo de Rondônia será usado para um encontro da presidência da República. O governador Marcos Rocha (PSL) também deve acompanhar o encontro presidencial.

Fonte: G1


Opnião dos Leitores

Você não está autenticado, clique aqui. para acessar o sistema!.


Notícia FM

Ligou, virou Notícia!

Faixa Atual

Título

Artista

Ligou, virou Notícia!

Precisa de ajuda?