Oficina de costura possuia trabalhadores em regime de escravidão

Publicidade

Trabalhadores encaravam jornada exaustiva de trabalho em oficina de costura em Indaiatuba — Foto: Ministério Público do Trabalho (MPT)

Vinte e cinco trabalhadores bolivianos foram encontrados em uma oficina de costura em Indaiatuba (SP) onde viviam em condições análogas à escravidão. A operação conjunta, que envolveu Ministério Público do Trabalho (MPT), Ministério do Trabalho e Previdência, Defensoria Pública da União e Polícia Rodoviária Federal (PRF), ocorreu na terça-feira (28), mas foi divulgada nesta quarta (29).

De acordo com o MPT, os funcionários estavam em situações degradantes de trabalho e alojamento, com lixo e sujeira espalhados pelos locais e quartos usados como refeitório. A oficina também apresentava falta de ergonomia e ausência de medidas de proteção contra incêndios.

O alojamento, instalado em um sobrado junto com o local de trabalho, também era ocupado pelos filhos dos imigrantes, que são crianças em idade escolar.

Além dos problemas de higiene e estrutura, ainda segundo o órgão, os trabalhadores encaravam jornada exaustiva, das 7h30 às 20h, em média, e não eram registrados em carteira. Eles recebiam salário por produção, de R$ 0,65 por cada peça costurada,

O Ministério Público do Trabalho relatou que o empregador direto, também de origem boliviana, prestava serviços para um comerciante da capital paulista.

Tanto o empregador quanto o comerciante assinaram um Termo de Ajuste de Conduta (TAC), onde se comprometem em realizar os registros retroativos dos contratos de trabalho, com posterior rescisão, e pagar as verbas rescisórias devidas, além de uma indenização por danos morais individuais a cada um dos 25 trabalhadores.

Fonte: G1


Opnião dos Leitores

Você não está autenticado, clique aqui. para acessar o sistema!.


Notícia FM

Ligou, virou Notícia!

Faixa Atual

Título

Artista

Ligou, virou Notícia!

Precisa de ajuda?