Bia Dizotti bate recorde brasileiro nos 1500m livre e é 6ª no Mundial

Publicidade

Um dia de altos e baixos para o Brasil no Mundial de esportes aquáticos, em Budapeste, na Hungria. Em jornada que teve o recorde brasileiro de Beatriz Dizotti nos 1500m, terminando em sexto lugar na prova, o país colocou Felipe França na decisão dos 50m peito, em prova que será realizada nesta terça-feira. Stephanie Balduccini fez sua melhor marca da vida nos 200m livre e ficou em 12º, enquanto João Gomes acabou desclassificado nos 50m peito e Leo de Deus foi 14º nos 200m borboleta.

A prova dos 1500m livre foi a primeira da história da competição com duas brasileiras disputando a final. A americana Kate Ledecky confirmou o favoritismo e venceu sem maiores dificuldades, com o tempo de 15m30s15. Bia Dizotti ficou em sexto lugar, com 16m05s25, batendo o recorde brasileiro que ela mesma tinha feito nas eliminatórias, e Viviane Jungblut foi sétima, com 16m13s89.

– Foquei em acertar as viradas, mas errei algumas. Nunca tinha nadado dois 1500 seguidos e estou bem feliz. Treinada eu estava, mas fazer esse tempo eu realmente não imaginava – disse Bia.

Nos 50m peito, João Gomes, que era um dos favoritos ao pódio, chegou em segundo na eliminatória, mas acabou desclassificado por conta de uma golfinhada (pernada) ilegal. Outro brasileiro na prova, Felipe França, entrou com o oitavo tempo, 27s20 para a decisão, que será nesta terça-feira às 13h. A Confederação Brasileira confirmou que, após ver vídeo, o brasileiro realmente cometeu a pernada ilegal e sequer entrou com recurso.

– Eu já fui bem mais rápido nessa prova, mas consegui ir melhor do que de manhã. Infelizmente a vaga veio por conta da desclassificação do João, agora é ir para a final, faz oito anos que eu não vinha para uma final – disse Felipe, campeão mundial desta prova em 2011, vice em 2009.

Nos 200m livre, Stephaniel Balfuccini fez o melhor tempo da carreira, com 1m57s50, mas acabou fora da final, terminando em 12º.

Nos 100m costas, o italiano Thomas Ceccon levou a medalha de ouro e bateu o recorde mundial com o tempo de 51s60, ficando à frente do americano Ryan Murphy, que fez 51s97. Com a marca, o italiano ganhou US$ 50 mil, cerca de R$ 250 mil.

Fonte: GE

Foto: Satiro Sodré/SSPress/CBDA

Marcado como

Opnião dos Leitores

Você não está autenticado, clique aqui. para acessar o sistema!.


Notícia FM

Ligou, virou Notícia!

Faixa Atual

Título

Artista

Ligou, virou Notícia!

Precisa de ajuda?