Brasil tem o melhor fim de semana desde as Olimpíadas de Tóquio

Publicidade

O fim de semana do esporte olímpico e paralímpico do Brasil pode ser considerado histórico. O vôlei de praia não só voltou ao pódio em um Campeonato Mundial, como levou uma medalha de cada cor, enquanto a natação nacional iniciou o Campeonato Mundial com duas medalhas e o país terminou o Mundial de natação paralímpica em terceiro no quadro geral. No tênis, Bia Haddad foi campeã do WTA de Birminghan, alcançou dez jogos de invencibilidade e entrou no top 30 do ranking, enquanto Alison dos Santos e Rafael Pereira se destacaram na Diamond League de atletismo. Ainda tivemos resultados relevantes no triatlo, tênis de mesa, surfe e a volta de um brasileiro no US Open de golfe depois de uma década.

O CAMPEÃO VOLTOU

O Brasil terminou o Campeonato Mundial de Vôlei de praia, principal competição do ano na modalidade, com uma medalha de ouro, uma de prata e uma de bronze, fazendo com que o país voltasse ao pódio em grandes torneios, depois da ausência no Mundial de 2019 e Olimpíadas de Tóquio. Duda e Ana Patrícia foram campeãs com campanha perfeita, oito jogos e oito vitórias, perdendo apenas um set e eliminando no caminho duplas fortíssimas como Sarah Pavan/Melissa Paredes (campeãs em 2019) e Bárbara/Carol. No masculino, não deu para tirar o título dos super-favoritos Mol e Sorum, da Noruega, mas o Brasil ficou com a prata (Victor Felipe/Renato) e bronze (André/George).

DEZ JOGOS INVICTA

A brasileira Beatriz Haddad foi campeã do WTA de Birmingham, na Inglaterra, disputado na grama, segundo título seguido dela que agora acumula dez jogos de invencibilidade. No caminho para a conquista, derrotou a romena Simona Halep, ex-número 1 do ranking. Agora ela aparece na 29ª posição do ranking mundial, a melhor da sua carreira.

MEDALHAS NA NATAÇÃO

Começou no último sábado o Campeonato Mundial de Esportes Aquáticos, e o Brasil já conquistou duas medalhas. Guilherme Costa foi bronze nos 400m livre, batendo o recorde sul-americano da prova, enquanto Nicholas Santos, com 42 anos, foi prata nos 50m borboleta, atualizado seu recorde de atleta mais velho a ir ao pódio na competição. Além disso, Beatriz Dizotti e Viviane Jungblut foram à final dos 1500m livre e, pela primeira vez na história do evento, colocou duas mulheres na mesma decisão.

TERCEIRO LUGAR NA NATAÇÃO PARALÍMPICA

O Brasil conquistou 53 medalhas (19 ouros, 10 pratas e 24 bronzes) no Campeonato Mundial de natação paralímpico, realizado em Portugal, ficando em terceiro lugar no quadro geral, batendo o recorde histórico de pódios. Carol Santiago foi o destaque brasileiro com seis medalhas de ouro e uma de prata, enquanto Samuel Oliveira, de apenas 16 anos, terminou com três ouros e duas prata.

TRÊS NA SEMI DO SURFE

O Brasil não foi campeão, mas colocou três surfistas na semifinal da etapa de El Salvador do Circuito Mundial. Filipe Toledo terminou com o vice-campeonato, derrotado na final pelo americano Griffin Colapinto, enquanto Gabriel Medina e Ítalo Ferreira perderam na semifinal, mas conquistaram pontos importantes no ranking. Filipinho segue líder, abrindo com relação ao australiano Jack Robinson, Ítalo Ferreira subiu para o quarto lutar e Medina segue na escalada em busca do milagre de ser top 5 após não participar das primeiras etapas.

VITÓRIAS NO VÔLEI

A seleção feminina de vôlei conquistou três vitórias e perdeu um jogo na etapa brasileira da Liga das Nações. Assim, o time está em terceiro na classificação geral, com seis vitórias e duas derrotas. Os triunfos vieram contra TurquiaHolanda Sérvia, mas a equipe acabou sofrendo um revés diante da Itália.

ALISON DOMINANTE, RAFAEL CRESCENDO

A semana teve duas etapas da Diamond League de atletismo, principal circuito de provas da modalidade. Em Oslo, na Noruega, Alison dos Santos venceu os 400m com barreiras com o tempo de 47s26, terceira melhor marca do ano no mundo, atrás só das duas marcas que ele mesmo fez em etapas anteriores da competição. Já em Paris, Rafael Pereira ficou com a medalha de prata ao fazer o tempo 13s25, na melhor performance de sua carreira.

MEDALHA NO TRIATLO

O brasileiro Miguel Hidalgo conquistou a medalha de bronze na etapa do México da Copa do Mundo de triatlo, competição que vale pontos para o ranking classificatório para Paris 2024. O espanhol Genis Grau foi o vencedor, seguido pelo canadense Tyler Mislawchuk.

SEMI HISTÓRICA NO TÊNIS DE MESA

Décima nona no ranking mundial de tênis de mesa, Bruna Takahashi foi semifinalista do torneio de Lima, no Peru, alcançando o melhor resultado de uma brasileira na história de um evento deste porte. A derrota veio contra a alemã Nina Mittelham (16ª do ranking) por 4 a 2 (7/11, 12/10, 6/11, 11/9, 11/13 e 9/11). Na mesma competição, Hugo Calderano, que é top 5 do ranking mundial masculino, foi eliminado nas oitavas de final.

DE VOLTA AO US OPEN DO GOLFE

O Brasil voltou a disputar o US Open de golfe, um dos quatro Majors da temporada, uma espécie de Grand Slam da modalidade, após onze anos. Fred Biondi, que conseguiu a vaga na competição em um torneio qualificatório na semana anterior, ficou 12 tacadas acima do par, não passou no corte para a fase final.

Fonte: GE

Foto: FIVB

Marcado como

Opnião dos Leitores

Você não está autenticado, clique aqui. para acessar o sistema!.


Notícia FM

Ligou, virou Notícia!

Faixa Atual

Título

Artista

Ligou, virou Notícia!

Precisa de ajuda?