Corinthians, Santos, Grêmio, Sport, Náutico… Os clubes das Séries A e B que mudaram de técnico no ano

Publicidade

A tendência brasileira da alta rotatividade de técnicos segue em alta. Dos 40 clubes das Séries A e B, quase metade passou por mudanças no comando neste início de ano. Foram dezoito, com um detalhe: outros dois começaram 2022 com auxiliares no comando, mas contrataram um “titular” para o posto neste início de temporada. E tem muito “professor” que vai começar o Brasileiro na corda bamba.

Na Série A, foram sete mudanças, com uma ressalva em relação a dois clubes. Cuiabá e Goiás começaram a temporada comandados pelos auxiliares que encerraram a temporada 2021, respectivamente, Eduardo Oliveira e Glauber Ramos. Os dois retornaram à função de assistentes após as contratações de Pintado (Cuiabá) e Bruno Pivetti (Goiás).

As mudanças na Série A

 

  • ATLÉTICO-GO: contratou Umberto Louzer após Marcelo Cabo pedir demissão.
  • AVAÍ: demitiu Claudinei Oliveira e contratou Eduardo Barroca.
  • BOTAFOGO: demitiu Enderson Moreira e contratou o português Luís Castro.
  • CEARÁ: demitiu Tiago Nunes e contratou Dorival Júnior.
  • CORINTHIANS: demitiu Sylvinho e contratou o português Vítor Pereira.
  • JUVENTUDE: demitiu Jair Ventura e contratou Eduardo Baptista.
  • SANTOS: demitiu Fábio Carille e contratou o argentino Fabián Bustos.

A quantidade de mudanças é maior na Série B, até o momento. Dos 20 clubes que começam a disputar a competição na próxima sexta-feira, 11 mexeram no comando do time. Entre eles, alguns candidatos naturais ao acesso. Casos de Grêmio, Chapecoense, Sport e Náutico.

As mudanças de técnico na Série B

 

  • CRB: demitiu Allan Aal e contratou Marcelo Cabo.
  • CHAPECOENSE: contratou Gilson Kleina para o lugar de Felipe Conceição, que deixou o clube para assumir o Náutico.
  • GRÊMIO: demitiu Vagner Mancini e contratou Roger Machado.
  • LONDRINA: demitiu Vinícius Eutrópio e contratou Adilson Batista.
  • NÁUTICO: demitiu Hélio dos Anjos e contratou Felipe Conceição.
  • NOVORIZONTINO: demitiu Léo Condé e contratou Allan Aal.
  • OPERÁRIO-PR: contratou Claudinei Oliveira após a saída de Ricardo Catalá (comum acordo).
  • PONTE PRETA: demitiu Gilson Kleina e contratou Hélio dos Anjos.
  • SAMPAIO CORRÊA: demitiu João Brigatti e contratou Léo Condé.
  • SPORT: demitiu Gustavo Florentín e contratou Gilmar Dal Pozzo.
  • TOMBENSE: demitiu Rafael Guanaes e contratou Hemerson Maria.

Mais de um ano

Na contramão da tradição das mudanças constantes no comando, alguns clubes mantém o mesmo treinador há mais de um ano. Todos os exemplos estão na Série A. O mais longevo é de Maurício Barbieri, que assumiu o comando do Bragantino no início de setembro de 2020, durante o Brasileiro, para substituir Felipe Conceição.

Em termos de longevidade, quem perde por pouco para Barbieri é o português Abel Ferreira. O técnico assumiu o comando do Palmeiras no fim de outubro de 2020, no lugar deixado por Vanderlei Luxemburgo, e enfileirou títulos: foram duas taças da Libertadores (2020 e 2021), uma Copa do Brasil (2020), uma Recopa Sul-Americana (2022) e, mais recentemente, o Campeonato Paulista (2022).

Times da Série A que não mudaram de técnico no ano

 

  • AMÉRICA-MG: Marquinhos Santos
  • ATHLETICO-PR: Alberto Valentim
  • ATLÉTICO-MG: Antonio Mohamed (argentino)
  • BRAGANTINO: Maurício Barbieri
  • CORITIBA: Gustavo Morínigo (uruguaio)
  • FLAMENGO: Paulo Sousa (português)
  • FLUMINENSE: Abel Braga
  • FORTALEZA: Juan Pablo Vojvoda (argentino)
  • GOIÁS: Bruno Pivetti (contratado em fevereiro/2022)
  • INTERNACIONAL: Alexander Medina (uruguaio)
  • PALMEIRAS: Abel Ferreira (português)
  • SÃO PAULO: Rogério Ceni.

Quem também completou um ano na mesma casa é o uruguaio Gustavo Morínigo. Contratado pelo Coritiba no início de 2021, conduziu o time ao acesso à Série A. Perto de comemorar o “primeiro aniversário” está o técnico do Fortaleza, Juan Pablo Vojvoda, que chegou ao Leão do Pici no início de maio de 2021.

Na Série B, quem está há mais tempo no comando da mesma equipe é Daniel Paulista. O treinador foi contratado pelo Guarani em maio de 2021, pouco antes do início da Série B, em substituição a Allan Aal. Disputou todo o campeonato – o Bugre terminou na sexta colocação – e o Paulistão deste ano – foi eliminado nas quartas de final, nos pênaltis, para o Corinthians.

Times da Série B que não mudaram de técnico no ano

 

  • BAHIA: Guto Ferreira
  • BRUSQUE: Waguinho Dias
  • CSA: Mozart Santos
  • CRICIÚMA: Cláudio Tencati
  • CRUZEIRO: Paulo Pezzolano (uruguaio)
  • GUARANI: Daniel Paulista
  • ITUANO: Mazola Júnior
  • VASCO: Zé Ricardo
  • VILA NOVA: Higo Magalhães

Fonte: GE

Foto: Anderson Stevens / Sport Club do Recife

Marcado como

Opnião dos Leitores

Você não está autenticado, clique aqui. para acessar o sistema!.


Notícia FM

Ligou, virou Notícia!

Faixa Atual

Título

Artista

Ligou, virou Notícia!

Precisa de ajuda?