Goleiro e meia superam dramas familiares e conduzem Portuguesa e São Bento à elite do Paulistão

Publicidade

O acesso de Portuguesa e São Bento à elite do Campeonato Paulista representa muito mais do que uma conquista para dois jogadores. Significa também uma vitória não apenas dentro de campo, mas fora dele.

O goleiro Thomazella, da Lusa, e o meia Nenê Bonilha, do Azulão, compartilharam um drama familiar nos últimos meses: ambos têm filhos que enfrentaram tratamentos de cânceres raros, situação que fez as crianças precisarem ainda mais do apoio dos dois jogadores, que adequaram a intensa rotina do futebol para serem pilares dentro de casa.

A luta de Gustavo

Após exames de rotina por conta de cólicas e reclamações frequentes de Gustavo, de quatro anos, Thomazella recebeu o diagnóstico de que o filho era portador do linfoma de Burkitt, que ataca as células e tem alta taxa de duplicação, podendo aumentar rapidamente de tamanho.

Em meio ao desafio familiar, o goleiro tem na ótima campanha da Portuguesa um momento de celebração.

– Esse acesso significa muito para mim. Posso chamá-lo de realização. Estou realizado por vestir a camisa de um gigante e recolocá-lo no seu devido lugar. Fazer parte da reestruturação e marcar o nome na história da Portuguesa é muito gratificante. Ver a alegria e a paixão dos torcedores da Portuguesa não tem preço. Vestir essa camisa é muito especial.

Gustavo está na reta final do tratamento e estará ao lado do pai para erguer o troféu de campeão ou vice da Série A2, meta traçada pelo goleiro antes mesmo de o estadual ter começado. O goleiro nunca pensou em abandonar o futebol, mas admitiu que faria isso se fosse necessário para ajudar na recuperação do filho.

– Também me sinto realizado por ter a oportunidade de realizar o sonho que tive no começo da competição e que me deu forças para seguir trabalhando e me dedicando para alcançá-lo, que era erguer o troféu junto com meu filho na final. Vamos nos dedicar muito para que seja o de campeão, mas de qualquer forma já está realizado. Fizemos uma campanha incrível e vamos buscar esse título para coroar essa nossa trajetória. Foi muito difícil, muito trabalho, empenho, dedicação, renúncia de muitas coisas para estar vivendo 100% o clube – disse o goleiro da Portuguesa.

A luta de Malu

A pequena Maria Luísa, de dois anos, filha de Nenê Bonilha, foi diagnosticada com retinoblastoma no olho esquerdo, um câncer que afeta células da retina e pode atingir crianças de até cinco anos. Querendo ficar ao lado de Malu durante o tratamento, o jogador pausou a carreira e não entrou em campo em 2021. Após melhora no quadro clínico, Bonilha acertou com o São Bento para a disputa da Série A2 por Sorocaba ficar próxima de São Paulo, local do tratamento da filha.

O meia revela que precisou faltar diversas vezes aos treinos e que o apoio do técnico Paulo Roberto Santos, da diretoria do clube e dos companheiros do elenco foi fundamental para a retomada da carreira.

– Esse acesso para mim sem dúvida foi um dos mais especiais. Depois de um ano sem jogar, poder vir para o São Bento e conseguir esse acesso com todas dificuldades que o clube enfrenta foi muito especial. Sou muito grato ao clube pela oportunidade, mas principalmente ao professor Paulo Roberto por confiar em mim e entender minhas necessidades de faltar a muitos treinos para ir ao hospital com minha filha. Isso não tem preço. Meus companheiros me acolheram e me ajudaram. Sou grato a todos. No dia 7 de abril, foi aniversário da minha filha. Conquistamos o acesso e ela está curada. Até difícil achar palavras certas para esse momento, mas como o pessoal brinca comigo: “Quer acesso, me contrata”. É o terceiro seguido – disse Nenê Bonilha, em contato com o ge.

Bonilha não estará em campo pelo São Bento nas finais da Série A2. O meio-campista rescindiu o contrato de olho na possibilidade de atuar nas Séries A ou B do Campeonato Brasileiro na sequência da temporada. Com a cura da doença da filha, o jogador busca voltar a um grande clube. Aos 30 anos, Nenê tem passagens por Corinthians, Fortaleza, Cuiabá, futebol português e mexicano, entre outros.

Quem fica com o título da Série A2?

A Portuguesa busca confirmar a melhor campanha geral da Série A2. Em 19 jogos até aqui, foram 12 vitórias, seis empates e apenas uma derrota. O São Bento, que vive uma gangorra na elite paulista nos últimos anos (dois acessos e dois rebaixamentos), tem campanha de sete vitórias, nove empates e três derrotas.

São Bento e Portuguesa entram em campo para o jogo de ida da final da Série A2 na próxima quinta-feira, às 19h, no estádio Walter Ribeiro, em Sorocaba.

O segundo e decisivo confronto será no domingo, às 19h, no Canindé, em São Paulo. Em caso de empate no placar agregado dos dois jogos, a decisão do título será nos pênaltis.

Fonte: GE

Foto: Arquivo Pessoal

Marcado como

Opnião dos Leitores

Você não está autenticado, clique aqui. para acessar o sistema!.


Notícia FM

Ligou, virou Notícia!

Faixa Atual

Título

Artista

Ligou, virou Notícia!

Precisa de ajuda?