Hamilton elogia Russell e vê esperança para a Mercedes na F1 em 2022

Publicidade

A Mercedes está longe de fazer seu melhor começo de temporada na era dos motores híbridos na Fórmula 1. O time não vence há três etapas, mas capitalizou dois pódios até aqui; no GP da Austrália, com triunfo de Charles Leclerc, faturou ainda um terceiro lugar que alçou George Russell à vice-liderança do Mundial de Pilotos pela primeira vez em sua carreira. E o jovem, recém-chegado na equipe, já recebeu elogios do colega heptacampeão Lewis Hamilton pela performance.

– Ele fez um trabalho incrível, teve um ótimo ritmo, tem se dedicado e tem sido muito sólido nestas três primeiras corridas – destacou Hamilton.

Russell faz sua primeira temporada pela Mercedes, cuja Academia de Pilotos o formou e o ajudou a ingressar na F1 em 2019 – pela Williams. O terceiro lugar no Circuito de Melbourne, no último domingo, foi também o primeiro pódio do britânico com a octacampeã de construtores.

O próprio piloto de 24 anos reconhece que contou com a “ajuda” dos abandonos de Carlos Sainz e Max Verstappen, bem como o safety car acionado por Sebastian vettel e o pit stop de Hamilton, para obter o resultado. A conquista, no entanto, renovou as expectativas da Mercedes para melhorias na temporada.

– Estamos otimistas, mas realistas sobre o cronograma de melhorias e a vantagem que nossos concorrentes têm, mas os terceiro e quarto lugares nos permitem deixar a Austrália com uma boa sensação – disse na ocasião Toto Wolff, chefe da equipe alemã.

Russell quase brigou com Sergio Pérez, segundo colocado, mas foi solicitado pela equipe através do rádio a tirar o pé para conseguir gerenciar seus pneus nas últimas voltas da corrida. Ainda assim, os 15 pontos o fizeram somar animadores 37, embora esteja a 34 de diferença do líder Charles Leclerc.

Otimismo

Embora não sofra com o motor – caso da rival RBR, que sofreu dois abandonos em três corridas -, a Mercedes luta para trazer melhorias ao seu carro: o W13 tem sido afetado sobretudo pelo efeito porpoising, que faz os carros sacudirem para cima e para baixo numa frequência muito alta.

Ainda assim, Hamilton se mostrou mais otimista diante das chances da equipe:

– Faltam 20 corridas, então prefiro me manter otimista. Pensando de forma realista, as equipes de ponta geralmente se desenvolvem em um ritmo semelhante. Seria este o caso com esse carro novo? Quem sabe? Mas estou muito esperançoso de que possamos entrar na luta em breve. Com todas as melhorias que devemos fazer, Ferrari e RBR provavelmente darão um passo semelhante, então, não será fácil. A diferença é muito grande agora, mas há um longo caminho a percorrer.

O heptacampeão, que largou em quinto lugar, acabou prejudicado pelo safety car de Vettel e teve que se contentar com a quarta colocação na prova australiana. Porém, seu resultado e o pódio de Russell ajudaram a Mercedes a ampliar a vantagem sobre a RBR de um para dez pontos, na vice-liderança do campeonato de construtores.

Neste fim de semana, o Autódromo de Imola na Itália receberá o GP da Emilia-Romagna. A prova teve como vencedores Hamilton, em 2020, e Verstappen, na temporada passada.

Fonte: GE

Foto: Mario Renzi – Formula 1/Formula 1 via Getty Images

Marcado como

Opnião dos Leitores

Você não está autenticado, clique aqui. para acessar o sistema!.


Notícia FM

Ligou, virou Notícia!

Faixa Atual

Título

Artista

Ligou, virou Notícia!

Precisa de ajuda?