Projeto por seleção brasileira une reforços do Corinthians; Róger Guedes estreia nesta terça

Quando Róger Guedes escolheu jogar no Corinthians, pensava também em seu futuro e no sonho de vestir a camisa da seleção brasileira. Não só pela afinidade do clube com a comissão técnica atual do Brasil, encabeçada por Tite e com histórico de corintianos no time, mas pelo projeto esportivo.

Róger e seu estafe ouviram do presidente Duilio Monteiro Alves que Timão o camisa 123 será protagonista. Uma das maiores contratações dos últimos anos do clube e que com tal visibilidade, dando tudo certo, naturalmente chamará a atenção de Tite. Faltam 14 meses para a Copa do Mundo.

Enquanto ele sonha, os outros três “galácticos”, Willian, Renato Augusto e Giuliano, têm passagens pela Seleção. Willian, inclusive, disputou as últimas duas Copas do Mundo. Renato foi campeão olímpico com o Brasil em 2016 e disputou a Copa de 2018.

A trajetória de Róger pelo Timão começa nesta terça-feira, em jogo contra o Juventude, na Neo Química Arena, pela 19ª rodada do Campeonato Brasileiro, às 21h30 (de Brasília).

– Quis fechar com o Corinthians por tudo isso. Quando fui à China, optei pela parte financeira. Agora, tenho chance de me destacar no Brasil e tenho, sim, o objetivo de chegar à Seleção – disse Róger.

Não é só Róger…

Apresentado na última segunda, mas fora do jogo desta terça por ainda não reunir as condições físicas ideais, Willian também sonha com um retorno à seleção brasileira. Aos 33 anos, se vê capaz de jogar em alto nível por “mais alguns anos”.

Infeliz no Arsenal, preferiu rescindir o contrato a seguir sem ter o protagonismo e a regularidade desejadas. Pesou a possibilidade de ser um dos grandes nomes da reconstrução corintiana.

– Eu sempre tive esse objetivo de vestir a camisa da Seleção. Sei que tive um ano difícil na temporada passada, não foi bom para mim, nas nunca deixei de pensar e sonhar em vestir novamente a camisa da Seleção. Creio que eu estando bem no Corinthians, minhas chances crescem de voltar para a Seleção. Mas o meu objetivo é estar bem no Corinthians, vencendo os jogos, para então voltar – disse o camisa 10.

Já Renato Augusto, com os mesmos 33 anos de Willian, disse não pensar em Seleção, mas admite que voltar a vestir a camisa amarelinha pode ser a consequência de um trabalho bem feito no Corinthians. O meia sempre esteve no radar de Tite e sua comissão.

– Seleção sempre foi um prêmio. Chega e faz um bom trabalho no clube e tem esse prêmio. Meu pensamento hoje é estar bem, ajudar o Corinthians, buscar títulos e coisas grandes. É continuidade do trabalho. Não penso nisso agora. Realmente, penso em estar bem, jogar em alto nível, para ajudar a equipe – resumiu há algumas semanas.

Por fim, Giuliano, aos 31 anos, fez 14 jogos na carreira com a camisa da seleção brasileira. Há alguns dias, o presidente Duilio Monteiro Alves, que já passou pela função de diretor de futebol do Timão, contou que o meia era frequentemente um pedido de Tite quando o mesmo estava no clube.

Também passou pela Seleção na base (sub-17 e sub-20). Assim como Renato, é um caminho natural tentar brigar por uma nova convocação no futuro se conseguir se destacar no Corinthians.

Fonte: GE


Opnião dos Leitores

Você não está autenticado, clique aqui. para acessar o sistema!.


Faixa Atual

Título

Artista

Abrir conversa
Precisa de ajuda?