Resumo das Paralimpíadas: Brasil ultrapassa 100 ouros na história dos Jogos

Publicidade

O Brasil ultrapassou a marca de 100 ouros na história das Paralimpíadas. Nesta terça-feira, com um ouro de Yeltsin Jacques no atletismo e um de Carol Santiago na natação, o país chegou a 101 medalhas douradas na história. Dessas conquistas, 14 foram em Tóquio, igualando a marca da Rio 2016. O Brasil ainda conquistou mais três medalhas na natação (duas pratas e um bronze) e duas no atletismo (uma prata e um bronze). Resultados que mantiveram o país na sexta posição do quadro de medalhas.

A terça-feira ainda marcou a classificação do Brasil para as semifinais de três esportes coletivos. A seleção de futebol de 5 goleou a França no encerramento da fase de grupos. Os brasileiros bateram a Turquia nas quartas de final do goalball. E o Brasil perdeu da Alemanha no vôlei sentado, mas superou o adversário no segundo critério de desempate para ficar com a segunda posição do grupo B do torneio masculino.

O 100º ouro ??

O Brasil abriu a terça-feira (de Tóquio) precisando de apenas um ouro para alcançar a marca de 100 medalhas douradas na história das Paralimpíadas. E ela veio cedo. Ainda era segunda-feira no Brasil quando Yeltsin Jacques dominou os 1.500m T11 (para atletas cegos) e quebrou o recorde mundial da prova, com 3m57s60. O 100º ouro chegou em grande estilo. Foi o segundo título de Yeltsin nestes Jogos. Ele havia vencido também os 5.000m T11.

O atletismo ainda conquistou mais uma prata e um bronze nesta terça. Raissa Rocha Machado ficou atrás apenas da iraniana Hashemiyeh Motaghian Moav, que bateu o recorde mundial do lançamento do dardo F56, para atletas que competem em cadeira. Raissa quebrou o recorde das Américas, com 24,39m.

Jardênia Felix, de apenas 17 anos, foi a terceira colocada nos 400m rasos T20, para atletas com deficiência intelectual.

Duas vezes Carol Santiago ???‍♀️

Ouro nos 50m livre S13 e bronze nos 100m costas S12, Marica Carolina Santiago conquistou mais duas medalhas nesta terça. A nadadora de 36 anos foi ouro nos 100m livre S12 e prata no revezamento 4x100m livre misto para deficientes visuais, junto com Wendell Belarmino, Douglas Matera e Lucilene Sousa.

Carol se tornou a primeira brasileira da natação a faturar dois ouros em uma única edição das Paralimpíadas.

Quatro vezes Gabriel ??

Gabriel Bandeira conquistou sua quarta medalha nos Jogos de Tóquio. Ouro nos 100m borboleta S14, prata nos 200m livre S14 e bronze no revezamento 4x100m livre misto S14, o nadador de 21 anos foi prata nos 200m medley S14, para atletas com deficiência intelectual, quebrando o recorde das Américas, com 2m09s56.

O Brasil ainda conquistou um bronze com Mariana Gesteira nos 100m livre S9.

Brasil na semi do futebol de 5 ⚽

O Brasil fechou a fase de grupos do futebol de 5 com mais uma goleada. A vítima da vez foi a França, que tomou 4 a 0. Nonato e Jardiel fizeram dois gols cada. Invicto o Brasil se classificou para a semifinal na liderança do Grupo A e vai pegar o Marrocos por uma vaga na decisão. Os brasileiros buscam o penta no futebol de 5, modalidade para deficientes visuais.

Brasil na semi do goalball ??

O Brasil também se classificou para a semifinal masculina do goalball, modalidade para deficientes visuais. Nesta terça, os brasileiros venceram a Turquia por 9 a 4 nas quartas de final e avançaram em busca de uma medalha, depois do bronze da Rio 2016. O adversário da semi é a Lituânia, atual campeã paralímpica, mas que foi goleada pelos brasileiros na estreia dos Jogos de Tóquio.

Brasil na semi do vôlei sentado ?

Brasil sofreu uma derrota por 3 a 1 diante da Alemanha no encerramento da fase de grupos no vôlei sentado masculino. Ainda assim, os brasileiros avançaram à semifinal na segunda posição do Grupo B graças a uma vitória por 3 a 0 do Irã sobre a China. No segundo critério de desempate, a média de pontos (pontos feitos divididos pelos pontos sofridos), os brasileiros superaram alemães e chineses.

Desclassificações dolorosas no atletismo ?‍♀️

O Brasil foi à final dos 100m rasos T11 (para cegas) com duas das quatros finalistas. O pódio era praticamente certo e as chances de dobradinha eram grandes, mas duas desclassificações dolorosas deixaram o país sem medalhas na prova. Recordista mundial, Jerusa Geber desabou em prantos logo após a largada porque a corda-guia arrebentou, e ela perdeu a orientação do guia Gabriel Garcia. Thalita Simplício chegou a celebrar o bronze, mas logo veio a notícia de que o guia Felipe Silva soltou a corda no último metro da prova.

Queda no ciclismo ?

Uma medalha também escapou no ciclismo de estrada por causa de uma queda. Lauro Chaman, bronze no contra-relógio na Rio 2016 e também no Mundial deste ano, liderava a prova. Ele sofreu uma queda na última volta e acabou caindo para a quarta posição.

Brasil vai tentar o bronze na bocha ??⚪

O Brasil teve um dia decisivo nas disputas individuais da bocha. Evelyn Oliveira (BC3) e Eliseu Santos (BC4) pararam nas quartas de final. Maciel Santos passou por Hiu Lam Yeung, de Hong Kong, mas perdeu por 3 a 2 do japonês Hidetaka Suguimura na semi da classe BC2. José Carlos Oliveira venceu o holandês Daniel Perez, mas perdeu do britânico David Smith na semi da classe BC1. Maciel e José vão agora tentar o bronze nesta quarta-feira.

Fonte: GE


Opnião dos Leitores

Você não está autenticado, clique aqui. para acessar o sistema!.


Notícia FM

Ligou, virou Notícia!

Faixa Atual

Título

Artista

Ligou, virou Notícia!

Precisa de ajuda?