Santos supera desfalques e ausência de Diniz para voltar a vencer no Brasileirão

Publicidade

Em grande parte dos textos de análises publicados após os jogos do Santos na atual temporada houve críticas a Pará e/ou Felipe Jonatan, laterais titulares da equipe que vivem péssima fase.

Nenhum deles atuou na vitória por 2 a 1 sobre o Athletico, na última terça-feira, e a mudança de peças fez bem para o Santos e para os próprios jogadores. É uma das boas notícias apresentadas pela equipe antes do clássico do próximo sábado contra o Palmeiras, no Allianz Parque.

Não se trata de mania de perseguição ou de “criar vilões ou super-heróis”, como afirmou o auxiliar Eduardo Zuma ao ser perguntado sobre a disputa por posição no setor, mas sim de saber preservar e aproveitar peças que pedem passagem no elenco.

Os substitutos Madson e Moraes não tiveram atuação brilhante, mas deram sangue novo e maior segurança ao setor. Mostraram ao torcedor que são duas opções que merecem mais espaço.

Madson apareceu em momentos importantes do jogo. Ele torna o time ofensivo e dá mais profundidade ao Peixe. Foi fundamental no primeiro gol, ao não desistir da jogada e ir até a linha de fundo servir Marcos Guilherme. No empate do Athletico, deu liberdade em seu setor após tentar cobrir a ausência de Marinho, que havia saído de campo após receber atendimento.

Moraes, por sua vez, começa a mostrar seu cartão de visitas ao torcedor agora. Depois de um mês de clube, o lateral-esquerdo fez seus dois primeiros jogos e parece à vontade em campo. Diante do Athletico, mostrou segurança na defesa e boa aparição no ataque.

A insistência na manutenção dos titulares já custou pontos importantes para o Santos ao longo do Brasileirão. Pará e Felipe Jonatan são jogadores de qualidade e já provaram isso em diversos momentos no Peixe, mas a fase recente dos dois é nitidamente abaixo da esperada, apesar de ambos serem defendidos publicamente pelo técnico Fernando Diniz.

Outra boa notícia da vitória santista foi a grande atuação de Gabriel Pirani. O meia vivia período de atuações irregulares, mas foi o principal jogador do Santos na partida. Comandou o meio de campo e teve liberdade para criar e finalizar jogadas. Geralmente ele é um dos mais cobrados por Diniz à beira do gramado e, curiosamente, na ausência do treinador, consegue uma atuação de destaque.

Novamente sem Kaio Jorge, preservado, no ataque, o Peixe mais uma vez teve um trio ofensivo “móvel”, sem centroavante, formado por Lucas Braga, Marcos Guilherme e Marinho. Eles inverteram posições e confundiram a marcação do Athletico.

O sistema defensivo, apesar de ter dado mais liberdade do que deveria no lance do gol do Athletico, esteve encaixado em grande parte do jogo. Além das laterais, Kaiky fez mais uma ótima partida na vaga de Luan Peres, negociado com o Olympique de Marseille, da França. Luiz Felipe segue crescendo, mas peca em lances que exigem velocidade, ponto fraco do zagueiro.

Com a vitória, o Santos chegou aos 15 pontos e subiu para a sexta colocação na tabela, mas todos os times, exceto o Athletico, ainda atuam nesta rodada. O próximo jogo do Peixe é o clássico contra o Palmeiras, neste sábado, às 16h30 (de Brasília), no Allianz Parque.

Fonte: GE


Opnião dos Leitores

Você não está autenticado, clique aqui. para acessar o sistema!.


Notícia FM

Ligou, virou Notícia!

Faixa Atual

Título

Artista

Ligou, virou Notícia!

Precisa de ajuda?