Sylvinho elogia Paulinho, destaca pontos fortes do Corinthians e diz que há limite para críticas

Publicidade

Pela primeira vez desde que foi apresentado como técnico do Corinthians, em 25 de maio, o técnico Sylvinho concedeu uma entrevista coletiva pré-jogo durante a semana no CT Joaquim Grava.

A três dias do clássico contra o São Paulo no Morumbi, na segunda-feira à noite, o treinador sentou ao lado do auxiliar Doriva para falar sobre o momento da equipe, hoje sexta colocada com 40 pontos. O técnico foi perguntado sobre as críticas ao seu trabalho e disse que elas têm um limite aceitável:

– Vou ser sintético: todos sabemos o que é limite e o que não é. O que é aceitável, e o que não é. Não tenho tempo para as redes sociais. Tive bons maestros, Roberto Mancini, Mano Menezes, Vagner Mancini e Tite. São 16 horas de clube. Jogos que não acabam, cuidando de 28 atletas, relação com a direção. Não temos tempo para interagir em redes sociais. Todos os seres humanos sabem, não precisa colocar pesquisa. Vivemos momentos extremos, difíceis, polarizados, e todos sabemos onde está o limite – disse o técnico, sem explicar o que lhe incomoda nas críticas.

O técnico tem contrato até o fim de 2022, mas diz que ainda não participa do planejamento para a próxima temporada. Ele elogiou a qualidade de Paulinho, apesar de destacar que ainda não é o momento de falar em contratações.

– O Brasileirão é muito difícil e rápido, temos trabalhado diariamente na recuperação de atletas e nos treinos. Não tivemos tempo, não é momento de planejamento, é feito em conjunto. Você citou o Paulinho, todos gostariam de contar com Paulo, ele tem identificação grande com o Corinthians, mas a janela está fechada. É hora de focar neste terço final de campeonato, que é muito difícil.

Há pouco mais de quatro meses no clube, Sylvinho acumula 28 partidas no Timão, com dez vitórias, 11 empates e sete derrotas. O aproveitamento é de 48,8% dos pontos disputados. O técnico listou três como os principais pontos de seu trabalho: defesa forte, meio-campo criativo e jovens lançados.

– É um período curto, bom, já dá para ver coisas, uma organização sadia e forte no grupo. Temos compensações, na saída do zagueiro tem um volante que entra. Nosso processo defensivo é sincronizado. A parte defensiva não são só os atletas da L4, (linha de quatro) é um sistema, que buscamos movimentos. Vejo eles com uma grande melhoria. Vejo construção com Cantillo, antes com Gabriele e Roni, depois uma nova amostra com Vitinho no lugar do Roni e hoje com Renato e Giuliano. Entendo que esse tripé tem funcionado muito bem, de formas diferentes. E a descoberta de jovens talentos, que se mostram com virtude. A construção de meio tem funcionado.

Na próxima rodada, o Timão encara um São Paulo com nova motivação, já que Rogério Ceni assumiu o cargo de treinador na partida contra o Ceará.

– Indifere a situação do adversário. É clássico, jogo de muita rivalidade, disputado, não está em jogo objetivos ou momento de um ou outro. Está em jogo 90 minutos, um clássico, camisa, rivalidade. Jogo duro. Os dois terão suas estratégias, tem muita qualidade dos dois lados e é isso que esperamos e projetamos para segunda-feira. O campeonato já é de grau de dificuldade grande.

Fonte: GE


Opnião dos Leitores

Você não está autenticado, clique aqui. para acessar o sistema!.


Faixa Atual

Título

Artista

Abrir conversa
Precisa de ajuda?