Tem favorito? A poucas horas da final da Superliga, jogadoras de Praia e Minas respondem

Publicidade

Favoritismo. Essa é uma palavra da qual geralmente atletas, treinadores e dirigentes tentam se esquivar no esporte, sobretudo em clássicos e decisões. Praia Clube e Minas, que disputam o título da Superliga feminina de vôlei, não fogem à regra.

As equipes foram as que mais se enfrentaram na temporada 2021/2022 do vôlei feminino. O time de Uberlândia ganhou quase todas (cinco dos seis jogos), inclusive duelos que valeram títulos do Campeonato Mineiro, da Supercopa do Brasil e do Sul-Americano. Porém, com grande atuação, as minastenistas levaram a melhor no jogo 1 das finais da Superliga, o mais importante deste ciclo.

E aí, quem é favorito? Mina e Praia Clube só entram em quadra às 21h, no Ginásio Nilson Nelson, em Brasília. No entanto, a poucas horas do início do confronto, o jogo de empurra-empurra entre as equipes já começou.

Carol Gataz, central do Minas, exaltou a vitória conquistada na última semana e mostrou satisfação com a apresentação da equipe diante das rivais. Contudo, ela afirmou que o Praia segue como favorito para o jogo desta sexta-feira.

– O Praia sempre é o favorito. Sempre realmente estiveram melhores e ganharam nos detalhes. Nossos jogos são sempre muito parelhos. Por mais que a gente tivesse perdido todos os jogos da temporada, os jogos foram muito disputados. Mas acho que essa vitória valeu muito, óbvio, ainda mais em uma final. Todas as partidas contra o Praia sempre são muito intensas e a gente sempre precisa ter muito foco e preparação – avaliou.

“A gente tinha perdido todos os jogos para elas, então a gente sabe que é a equipe favorita. Tivemos a sorte de jogar bem no primeiro jogo e acho que a gente tem que continuar fazendo as mesmas coisas, mantendo essa intensidade”.

Do outro lado, a levantadora Claudinha acredita que não há favoritismo. Embora tenha vantagem nos confrontos da temporada, o Minas venceu as duas últimas edições da Superliga contra o Praia.

“Acredito que o favoritismo esteja para os dois lados. Nós fizemos a melhor campanha, mas elas também foram campeãs no ano passado. Eu acredito muito que, ao longo da temporada, tivemos momentos diferentes”.

– Fomos muito bem no primeiro turno, não tivemos problemas com lesão, com Covid, então o time só foi crescendo. O segundo turno foi ao contrário. Nós tivemos alguns problemas e o time deu uma quebrada. Claro que o nosso elenco é sensacional, tenho certeza que quem estiver na quadra vai manter o ritmo forte, mas quando uma base do time começa a jogar cada vez mais, o entrosamento acontece mais rápido. Agora o que passou, passou. O que foi de bom a gente traz na bagagem para a final e o que foi de ruim a gente deixa lá atrás e tenta fazer a diferença agora – concluiu.

Praia Clube e Minas se enfrentam nesta sexta-feira, às 21h, no Ginásio Nilson Nelson, em Brasília. A equipe de Uberlândia precisa vencer a partida para empatar a série e forçar o jogo de desempate. Em caso de vitória do Minas, o título vai para Belo Horizonte com uma rodada de antecedência.

Fonte: GE

Foto: Nadine Oliver/Inovafoto/CBV

Marcado como

Opnião dos Leitores

Você não está autenticado, clique aqui. para acessar o sistema!.


Notícia FM

Ligou, virou Notícia!

Faixa Atual

Título

Artista

Ligou, virou Notícia!

Precisa de ajuda?