Verstappen aceita destaque de Pérez na RBR: “Que o melhor vença”

Publicidade

De contrato novo até 2024 e o dobro do antigo salário, na casa dos 7 milhões de euros (cerca de R$ 36 milhões), Sergio Pérez está com tudo na F1 após vencer o GP de Mônaco e ter desempenho superior ao do colega Max Verstappen na Espanha, quando abriu caminho pra vitória do atual campeão mundial. Diante disso, o holandês fez questão de garantir que, numa potencial briga pelo título, a relação entre a dupla permaneceria a mesma.

– Por que mudaria? Trabalhamos muito bem em equipe. Tentamos otimizar o carro, trabalhar para o time, e podemos aceitar quando alguém faz um trabalho melhor. Isso é muito importante porque é assim que você respeita um ao outro. Que o melhor vença no final, certo? – assegurou.

Nas ruas do principado, há uma semana, Pérez se classificou na frente de Verstappen, que não pôde concluir sua última volta no Q3 por causa de uma batida do mexicano – e não ficou feliz com isso, chegando a cobrar por punições para esse tipo de lance.

Na corrida, o piloto do carro 11 capitalizou o erro de estratégia da Ferrari com o pole Charles Leclerc e segurou Carlos Sainz para conquistar seu primeiro triunfo em Mônaco.

Tudo isso foi uma semana depois do GP da Espanha, quando Verstappen também ficou atrás do colega ao longo do fim de semana e sofreu com problemas na abertura da asa traseira.

O campeão de 2021 ainda errou no começo da corrida e caiu para o quarto lugar. Não conseguiu brigar com George Russell, da Mercedes, missão assumida por Pérez – e concluída com efetividade.

Porém, o mexicano recebeu da RBR a ordem de abrir caminho para que o colega assumisse a liderança da prova com a promessa de ser retribuído, o que não ocorreu e não passou em branco por ele. A questão, segundo o chefe Christian Horner, foi superada.

No entanto, o triunfo em Barcelona ajudou Verstappen a ampliar a vantagem na liderança do campeonato de pilotos. E se tivesse vencido no circuito espanhol, Pérez, hoje terceiro colocado com 15 pontos de diferença para o holandês, estaria na vice-liderança com só dois pontos a menos.

O cenário levou a RBR a prometer que, caso o time coloque seus dois pilotos na posição para brigar pelo título de 2022, não haveria favoritismo:

– O campeonato de construtores é extremamente importante. Mas seja Max ou Checo, ambos são pilotos da RBR e têm a mesma chance. Será uma temporada longa e com altos e baixos, mas é ótimo ter dois pilotos bons nas horas mais difíceis – comentou Horner.

Dois dias após o triunfo em Mônaco, Pérez, que se tornou o piloto mexicano mais bem-sucedido da F1 com três vitórias na carreira, anunciou a extensão de seu vínculo com o time.

Verstappen concluiu destacando o bom convívio entre os dois pilotos no time, que em 2022, protagoniza uma batalha acirrada com a Ferrari:

– Sempre tentamos fazer o melhor que podemos na pista, mas também nos respeitamos muito e tentamos marcar o maior número de pontos possíveis todos os finais de semana para a equipe.

Fonte: GE

Foto: Andrea Diodato/NurPhoto via Getty Images

Marcado como

Opnião dos Leitores

Você não está autenticado, clique aqui. para acessar o sistema!.


Notícia FM

Ligou, virou Notícia!

Faixa Atual

Título

Artista

Ligou, virou Notícia!

Precisa de ajuda?